Bolsas de Investigação da Fundação Amélia de Mello

A Fundação Amélia de Mello, criada em 1964, por iniciativa de D. Manuel de Mello, visando dar continuidade à acção social do histórico Grupo CUF (Companhia União Fabril), tem desenvolvido ao longo de décadas um longo trabalho nas áreas da formação profissional, “através da promoção e apoio a centros educacionais e de formação profissional, preferencialmente em sectores não cobertos pelos esquemas oficiais de ensino”, como se pode ler no site da Fundação.

No prosseguimento deste trabalho, a Fundação Amélia de Mello acaba de anunciar o lançamento de três bolsas de investigação, com um valor total de 450 mil euros, 150 mil euros por bolsa, que visam apoiar, anualmente até 2027, projectos nas áreas de empreendedorismo, indústria e inovação, e inovação social.

As candidaturas à bolsa a atribuir este ano – “Bolsa José Manuel de Mello (Empreendedorismo). As duas restantes bolsas, “Bolsa Jorge de Mello (Indústria e Inovação)” e “Bolsa Amélia de Mello (Inovação Social)” – estão agendadas para 2025 e 2026, respectivamente.

O foco das bolsas está centrado nos domínios da “descarbonização, da inovação na indústria e da inovação social – áreas que sempre estiveram ligadas aos percursos das três personalidades que lhes dão nome –, a exemplo do que sucedeu nos últimos três anos com os Prémios Alfredo da Silva”.

O objetivo norteador é “distinguir projectos de investigação” assentes no propósito de “criar valor a partir de ideias e oportunidade de base científicas, que necessitam de validação e desenvolvimento adicionais com implementação dentro do tecido empresarial”.

Vasco de Mello, presidente da Fundação Amélia de Mello, citado no comunicado realça a aposta feita no apoio a projectos de investigação científica avançada, de relevante interesse estratégico nacional. “Com base na experiência adquirida, definimos uma nova política de apoio à investigação em áreas estratégicas para Portugal, destacando, desta forma, a actividade desenvolvida pelos investigadores e a importância do saber e do conhecimento para o futuro do nosso país”, afirmou.

A Fundação Amélia de Mello recorda que dá “continuidade às parcerias já existentes com o BCSD Portugal, a COTEC e a NOVA SBE” na criação destas bolsas, cujo novo modelo de atribuição traduz um reforço do investimento da fundação superior a “800 mil euros até 2027”, já contabilizando a Bolsa CUF D. Manuel de Mello que ascende a 200 mil euros.

As candidaturas à bolsa a atribuir este ano – “Bolsa José Manuel de Mello (Empreendedorismo)” – abriram no dia 20 de Março.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Sufragio
Atualidade
Sufrágio: Setúbal, o país e o mundo

O processo eleitoral legislativo no distrito de Setúbal está concluído. O Tribunal de Setúbal,

Neutralidade-Carbonica
Atualidade
Compromisso com a Neutralidade Carbónica: Setúbal, Palmela e Sesimbra Juntas pelo Futuro Sustentável

As cidades de Setúbal, Palmela e Sesimbra, localizadas na região da Arrábida, têm dado

Palacio-do-Quebedo
Atualidade
Requalificação do Palácio do Quebedo

No âmbito da Estratégia Local de Habitação de Setúbal e inserida no programa Bolsa