Câmara de Almada Distribui Kits de Higiene Feminina para Alunas do Município

A Câmara Municipal de Almada está empenhada em combater a pobreza menstrual e promover a sustentabilidade ambiental ao entregar kits de higiene feminina a alunas do concelho. Esta iniciativa, proposta pelo Conselho Municipal de Juventude de Almada, visa fornecer produtos sustentáveis a cerca de 900 estudantes, do 7º ao 12º ano, como forma de enfrentar um problema que afeta muitas jovens.

A Importância da Medida

A entrega destes kits de higiene feminina é uma ação crucial para combater a pobreza menstrual, um problema que muitas estudantes enfrentam no seu dia-a-dia. Estudos mostram que 12% das raparigas já faltaram às aulas por não terem condições financeiras para adquirir produtos de higiene menstrual adequados. Esta falta de acesso a produtos básicos afeta não só a saúde e bem-estar das jovens, mas também a sua participação e desempenho escolar.

Além de enfrentar a pobreza menstrual, a Câmara de Almada também está comprometida em promover a sustentabilidade ambiental. Os kits de higiene feminina entregues são compostos por um copo menstrual e dois pensos higiénicos reutilizáveis. Estes produtos sustentáveis ajudam a reduzir a quantidade de resíduos plásticos gerados pelos produtos descartáveis convencionais. Ao adotar estas alternativas, as alunas são incentivadas a adotar práticas mais ecológicas e conscientes.

O Processo de Entrega dos Kits

A primeira fase da entrega dos kits de higiene feminina ocorreu na Escola Básica da Costa da Caparica, onde cerca de 40 alunas tiveram a oportunidade de receber os produtos. A iniciativa tem como objetivo alcançar 10% de todas as alunas do concelho de Almada, avaliando posteriormente o impacto da medida proposta pelo Conselho Municipal de Juventude de Almada.

Além de receberem os kits de higiene feminina, as alunas também têm a oportunidade de participar de uma “girls talk”, um espaço reservado para esclarecimento de dúvidas e discussões sobre saúde menstrual. Este momento é importante para que as estudantes possam obter informações relevantes e combater tabus e estigmas associados à menstruação.

A Importância da Participação dos Jovens

A implementação desta medida reflete o compromisso da Câmara de Almada em incluir os jovens na tomada de decisões municipais. Ao aprovar a proposta do Conselho Municipal de Juventude de Almada, a autarquia demonstra a importância da participação democrática dos jovens no desenvolvimento de políticas públicas.

Filipe Pacheco, vereador com o pelouro da Juventude, destaca a solidariedade e consciência ambiental das novas gerações. Ele ressalta que os jovens estão mais conscientes da necessidade de reduzir a pegada ecológica e elogia o envolvimento dos estudantes na promoção da sustentabilidade e combate à pobreza menstrual.

A Pobreza Menstrual e Seus Impactos

A pobreza menstrual é um problema que afeta milhares de mulheres em todo o mundo, incluindo Portugal. Um estudo publicado no jornal Expresso revelou que cerca de 12% das raparigas no país já faltaram às aulas por não terem condições financeiras para adquirir produtos de higiene menstrual.

Em Portugal, estima-se que cerca de um milhão e oitocentas mil mulheres menstruam, e 39% delas consideram esta fase difícil. Durante a sua vida fértil, uma mulher terá, em média, 450 menstruações, o que resulta num grande consumo de produtos de higiene feminina descartáveis. Estes produtos, na sua maioria, contêm plástico nas suas composições e embalagens, contribuindo para a poluição ambiental.

Além dos impactos ambientais, a falta de acesso a produtos de higiene menstrual adequados também pode ter consequências graves para a saúde das mulheres. A ausência de cuidados adequados pode levar a infeções vaginais ou urinárias recorrentes, insuficiências renais e até mesmo casos extremos, como choques sépticos. A pobreza menstrual também pode comprometer a participação das jovens na educação, limitando o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

A Necessidade de Educação Menstrual

Para combater a pobreza menstrual e promover a igualdade de género, é fundamental investir em educação menstrual. É necessário incluir informações sobre menstruação e cuidados com a saúde íntima nos currículos escolares. Recomendações internacionais, como as da UNESCO, destacam a importância de abordar este tema para evitar estigmas e desigualdades.

Em Portugal, o Referencial da Educação para a Saúde quase não aborda o tema da menstruação, apesar de existirem indicações específicas para sua inclusão. É essencial quebrar tabus e normalizar a menstruação, proporcionando às jovens informações claras e adequadas sobre o assunto.

A iniciativa da Câmara Municipal de Almada em entregar kits de higiene feminina a alunas do concelho é um passo importante no combate à pobreza menstrual e na promoção da sustentabilidade ambiental. Ao adotar produtos sustentáveis, as estudantes têm a oportunidade de cuidar da sua saúde menstrual de forma consciente e reduzir o impacto ambiental causado pelos produtos descartáveis convencionais.

A Câmara de Almada está a dar um exemplo inspirador de como as autarquias podem contribuir para a melhoria da vida das pessoas, especialmente das jovens estudantes. A expectativa é que esta iniciativa sirva de exemplo para outras cidades e municípios, promovendo a igualdade de género, o acesso à educação e o respeito pelo meio ambiente.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

O-Meu-Bairro
Atualidade
Programa "O Meu Bairro" em Almada: Requalificando o Espaço Público

O programa “O Meu Bairro” é uma iniciativa inovadora que visa a requalificação do