Programa Cidades Âncora para a Economia Azul: Setúbal une-se ao consórcio para aprimorar a costa

A cidade de Setúbal está entre as doze entidades e cidades que assinam um protocolo com o objetivo de candidatar-se a fundos comunitários da rede urbana inter-regional “Cidades Âncora para a Economia Azul”, como parte do programa Portugal 2030. A deliberação foi aprovada em reunião pública do executivo camarário setubalense. A proposta visa a implementação de um projeto conjunto de promoção de uma Rede Urbana de cidades costeiras.

Candidatura para a Rede Urbana

A candidatura é composta pelos municípios de Setúbal, Aveiro, Lagoa, Oeiras, Peniche, Portimão, Sines e Viana do Castelo, além de entidades como o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental, a Universidade do Minho, a Associação da Economia do Mar (Fórum Oceano) e a Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama (Sines Tecnopolo).

Esta rede urbana proporcionará às cidades a oportunidade de desenvolver e discutir novos métodos, processos, conhecimento e tecnologias inovadoras, capazes de ajudar a diversificar as suas atividades económicas e melhorar os processos de planeamento urbano e proteção ambiental. O objetivo é encontrar novas formas de exploração costeira.

Responsabilidades do consórcio

O consórcio será responsável por congregar os interesses e meios, além de coordenar as atividades e capacidades complementares dos seus membros para a entrega da candidatura. Também será responsável pela construção e operacionalização da estratégia e execução do plano de ação da rede urbana em questão. O consórcio também terá o encargo da interlocução com as autoridades de gestão dos programas operacionais financiadores e da coordenação e gestão da parceria.

O protocolo assinado pelos 12 membros do consórcio define as atribuições, relações, responsabilidades e meios das entidades para a entrega e execução da candidatura. Além disso, o protocolo estabelece o Quadro de Investimentos Prioritários que inclui uma lista indicativa de intervenções e projetos a serem desenvolvidos.

Oportunidades para a Economia Azul

A participação de Setúbal e outras cidades no Programa Cidades Âncora para a Economia Azul traz grandes oportunidades para o desenvolvimento económico e sustentável da região costeira de Portugal. A Economia Azul diz respeito ao uso sustentável dos recursos marinhos e costeiros, incluindo atividades relacionadas à pesca, aquicultura, turismo, energia renovável, transporte marítimo e muito mais.

Uma das principais metas do programa é ajudar as cidades costeiras a diversificar suas atividades económicas. Isto significa explorar novas oportunidades de negócios relacionadas ao mar, além das atividades tradicionais. Setúbal e outras cidades participantes poderão desenvolver e discutir métodos inovadores, processos e tecnologias que impulsionem a economia local e atraiam investimentos.

Planeamento urbano e proteção ambiental

Além da diversificação das atividades económicas, o Programa Cidades Âncora para a Economia Azul também pretende melhorar os processos de planeamento urbano e proteção ambiental das cidades costeiras. Isso envolve a adoção de práticas sustentáveis, a preservação dos recursos naturais e a criação de espaços públicos que promovam a qualidade de vida dos moradores e visitantes.

Outro objetivo importante do programa é encontrar novas formas de exploração costeira que sejam sustentáveis e respeitem o meio ambiente. Isso inclui a procura por tecnologias e métodos inovadores que permitam a utilização dos recursos marinhos e costeiros de maneira responsável, garantindo a sua preservação para as futuras gerações.

A importância da parceria e colaboração

A participação de várias entidades e cidades neste programa reflete a importância da parceria e colaboração para o desenvolvimento económico e sustentável das áreas costeiras. Através da união de esforços, é possível compartilhar conhecimentos, recursos e experiências, fortalecendo as ações e maximizando os resultados.

A presença de centros de pesquisa e instituições académicas no consórcio é fundamental para impulsionar a inovação e o avanço tecnológico. A Universidade do Minho e o Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental, por exemplo, trazem expertise e conhecimento científico que podem contribuir para o desenvolvimento de soluções sustentáveis.

As associações como a Associação da Economia do Mar (Fórum Oceano) e a Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama (Sines Tecnopolo) desempenham um papel importante na promoção e no apoio ao empreendedorismo relacionado à Economia Azul. Através de programas de incubação, mentoria e networking, estas organizações podem ajudar a impulsionar o crescimento de startups e empresas inovadoras no setor.

A participação de Setúbal e outras cidades no Programa Cidades Âncora para a Economia Azul representa uma oportunidade única de impulsionar o desenvolvimento económico e sustentável das áreas costeiras. Através da diversificação das atividades económicas, do aprimoramento do planeamento urbano e da proteção ambiental e da exploração costeira sustentável, as cidades poderão aproveitar ao máximo os recursos marinhos e costeiros de maneira responsável. A parceria entre entidades e a colaboração entre diferentes setores serão fundamentais para o sucesso dos projetos e para a criação de uma Economia Azul forte e próspera em Portugal.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Reforcos-para-os-Sapadores-de-Setubal
Atualidade
Reforços para os Sapadores de Setúbal

Foi publicado em Diário da República a abertura de um concurso público de recrutamento

Exposicao-O-Pinhal-
Cultura
Exposição "O Pinhal": Descobrindo a Beleza da Flora da Serra da Arrábida

A Casa Bocage está com uma exposição que destaca a delicadeza e a beleza

Jose-Maria-da-Fonseca
Gastronomia
José Maria da Fonseca: 190 Anos de um Legado Familiar Pioneiro e Inovador

A história da José Maria da Fonseca remonta a 1834, quando o empresário visionário