Papel das guardiãs da natureza do Estuário do Sado na conservação do meio rural

O Estuário do Sado, juntamente com outras sete áreas protegidas, terá o privilégio de contar com a presença de 12 guardiãs da natureza. O foco estará na implementação de projetos de intervenção no meio rural, com especial atenção para a pesca e a conservação das pradarias marinhas. Este projeto é uma iniciativa da “Rede de Guardiãs da Natureza e Desenvolvimento Sustentável do Mundo Rural”, promovida pela Business As Nature e financiada pelo Fundo Ambiental e pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

O envolvimento das mulheres na sustentabilidade do meio rural

O principal objetivo deste projeto-piloto é promover o envolvimento e a capacitação das mulheres como guardiãs e defensoras da sustentabilidade do meio rural. Além disso, busca-se proporcionar a cada uma delas a oportunidade de desenvolver um projeto transformador, seja criando o seu próprio negócio ou aprimorando a sua atividade profissional no mundo rural.

Segundo Susana Viseu, coordenadora do projeto, a primeira fase consiste em formar essa rede de guardiãs e treinar para que cada uma delas tenha um projeto transformador. Essas mulheres poderão expandir projetos que já possuem ou desenvolver novas ideias que contribuam para a regeneração, recuperação e conservação dos ecossistemas e da biodiversidade.

Inscrições e requisitos para se tornar uma guardiã da natureza

As interessadas em tornar-se uma guardiã da natureza têm até o dia 15 de setembro para se inscreverem no programa. Para isso, é necessário preencher o formulário disponível na página oficial da Business As Nature. De acordo com Susana Viseu, é essencial que as candidatas amem e respeitem a natureza, além de desejarem desenvolver a sua atividade profissional no meio rural, aproveitando os recursos locais e os saberes tradicionais.

Além dessas características, as mulheres selecionadas devem ter capacidade de comunicação, liderança e coragem, sendo resilientes e persistentes. Após a seleção das participantes, será realizado um período de formação nos meses de outubro e novembro. Essa formação abordará temas como desenvolvimento sustentável, economia circular, conservação da natureza e utilização eficiente dos recursos hídricos.

Implementação dos projetos e expansão da rede

Após a formação presencial, serão realizadas sessões online envolvendo universidades, centros de pesquisa e empresas para fornecer ideias de inovação e estabelecer parcerias visando o desenvolvimento dos projetos apresentados. Em dezembro, está prevista uma sessão final de apresentação dos projetos, onde as guardiãs terão a oportunidade de mostrar as suas ideias e produtos.

No segundo ano, serão criadas condições para a implementação dos projetos, identificando potenciais empresas ou procurando financiamento através de fundos comunitários. Além disso, está nos planos expandir e internacionalizar a rede para outras geografias, especialmente países de língua portuguesa e regiões autónomas.

Espera-se que o projeto traga uma importante contribuição para a conservação da natureza e o desenvolvimento sustentável do território do Estuário do Sado. Com a formação de uma rede de guardiãs da natureza comprometidas com a regeneração e conservação dos ecossistemas, é possível criar um impacto positivo no meio rural e promover a preservação da biodiversidade.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Origens-do-Seixal
História
Descubra a História e Origens do Seixal: Uma Visita Guiada ao Centro Histórico

Na cidade do Seixal há uma história rica e origens que valem a pena

Central-de-reclamacao
Atualidade
Central de reclamação

A transição energética “é inevitável” e “bem-vinda”, mas “tem sido desnecessariamente perturbadora”, assim o

hoteis-para-insetos
Lazer
Aprenda como construir hotéis para insetos e ajude a preservar a biodiversidade

Os insetos, como abelhas, abelhões, vespas, moscas, borboletas, escaravelhos e formigas, desempenham um papel