Sítio Arqueológico de Miróbriga

O Sítio Arqueológico de Miróbriga, localizado junto à cidade de Santiago do Cacém, representa um dos mais bem preservados e conhecidos sítios do Período Romano no Sudoeste de Portugal. A sua ocupação remonta à Idade do Ferro (século IV/V a.C.) e prolonga-se até à época visigótica (século VI d.C.), mas é a cidade romana, construída sobre o povoado fortificado da Idade do Ferro, que o visitante pode descobrir ao percorrer o local.

A cidade romana de Miróbriga apresenta vestígios de diversos edifícios e arruamentos, na sua maioria em bom estado de conservação, sendo especialmente conhecida pelos seus dois edifícios termais. Na Época Romana foi edificado o fórum, o centro da cidade, onde estava erigido um templo, provavelmente dedicado ao culto imperial. Circundando o fórum localizavam-se as restantes edificações e a sul situava-se a área comercial, que contava com várias lojas (tabernae) abertas diretamente para a rua. 

As termas surgem numa das zonas mais bem conservadas de Miróbriga. Eram constituídas por dois edifícios, um para o uso masculino e outro para o feminino. Entre os séculos I e II d.C. surgem as restantes construções (zona de entrada, sala de vestiário e jogos, uma zona para banhos frios – frigidarium – e outra para banhos quentes – caldarium e tepidarium).

Junto das termas pode ver-se uma ponte de arco único de volta inteira. Esta ponte apresenta ainda o seu pavimento original, constituído por lajes de calcário. É também visível o sistema de drenagem de águas pluviais.

Localizadas a aproximadamente 1 km do sítio arqueológico de Miróbriga, e fora do circuito de visita, estão as ruínas do hipódromo. É o único de planta integralmente conhecida em território português, medindo 370 m por 75 m. O hipódromo era utilizado para corridas de carros, puxados por dois ou quatro cavalos (bigas/quadrigas).

Miróbriga está referenciada desde o século XVI, por André de Resende. O Sítio Arqueológico tem a classificação de Imóvel de Interesse Público desde 1940, estando afeto à Direção Regional de Cultura do Alentejo. 

Conta atualmente com um Centro de Acolhimento e Interpretação para a explicação do complexo de Miróbriga, construído pelo IPPAR. O Centro possui uma exposição permanente sobre o sítio, organizada de forma temática, assim como uma sala para acolhimento de grupos. O percurso da visita encontra-se devidamente sinalizado.

Pode ser visitado de terça-feira a sábado, das 09h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30, ou domingo das 09h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h30. 

O preço normal é de 3,00€, havendo um desconto de 50% para crianças até 12 anos, estudantes e maiores de 65 anos.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

ESPECIAL-25-DE-ABRIL
Cultura
Quinta-feira, 25 de Abril de 1974

“…Ritinha, fiquemo-nos por aqui, que o conto agora vai longo e repetido. Fecha o