Ciclo de Cinema Transtagano em Almada: Celebrando o Alentejo no Auditório Fernando Lopes-Graça

Ciclo de Cinema Transtagano em Almada: Celebrando o Alentejo no Auditório Fernando Lopes-Graça

O município de Almada, em parceria com o Centro de Estudos Documentais do Alentejo e o apoio da Junta de Freguesia da Charneca de Caparica, apresenta o primeiro Ciclo de Cinema Transtagano. O evento, que está a decorrer no Auditório Municipal Fernando Lopes-Graça, em Almada, é uma celebração dos 50 anos do 25 de Abril, do nono aniversário do Cante Património da Humanidade e do centenário do nascimento do escritor Urbano Tavares Rodrigues. Serão exibidos seis filmes de cinco realizadores, todos eles relacionados com a essência do Alentejo.

Filmes que nos transportam para a essência da Mátria Alentejana

O Ciclo de Cinema Transtagano tem como objetivo transportar o público para a essência da Mátria Alentejana, explorando temas como a luta pela liberdade, o Cante Alentejano, a relação dos alentejanos com o solo e a vida de personalidades como Florbela Espanca e Al Berto. Os filmes selecionados proporcionam uma imersão na cultura e nas tradições alentejanas, oferecendo uma perspectiva única sobre a região. Já foram exibidos os filmes “O Adeus à Brisa”, de Possidónio Cachapa, e “Alentejo, Alentejo”, de Sérgio Trefaut.

“O Adeus à Brisa” – Possidónio Cachapa

A abertura do ciclo foi marcada pela exibição do documentário “O Adeus à Brisa”, realizado por Possidónio Cachapa. O filme conta a história de um homem que reflete sobre o seu passado, entrelaçando-o com a História do seu país. Urbano Tavares Rodrigues é o protagonista que evoca a luta pela liberdade e a revolução, enquanto a brisa do Sul continua a soprar. Possidónio Cachapa estará presente na sessão de abertura para uma conversa com o público.

“Alentejo, Alentejo” – Sérgio Trefaut

No segundo dia do ciclo, foi exibido o documentário “Alentejo, Alentejo”, realizado por Sérgio Trefaut. O filme retrata o Cante Alentejano e a paixão dos seus intérpretes. Explora não só o que se faz no Alentejo, mas também fora dele, com a diáspora alentejana a criar novos grupos na periferia lisboeta e em diversos países de emigração. Vencedor do prémio de melhor filme português no IndieLisboa 2014, “Alentejo, Alentejo” é um mergulho na alma musical do Alentejo.

“Terra” – Hiroatsu Suzuki e Rossana Torres

No terceiro dia, será exibido o documentário “Terra”, realizado por Hiroatsu Suzuki e Rossana Torres. O filme explora a relação dos alentejanos com o solo, a partir de dois fornos cobertos de terra onde um homem faz carvão. Os elementos essenciais como o fogo, a água, o ar, a terra e o espaço são explorados e celebrados neste filme, refletindo o ritmo da Terra e a conexão profunda dos alentejanos com a natureza.

“Montado” – Joaquín Gutiérrez Acha

No quarto dia do ciclo, será exibido o documentário “Montado”, realizado por Joaquín Gutiérrez Acha. O filme mergulha no ecossistema ancestral do Montado, um ecossistema que conserva uma biodiversidade extraordinária na Península Ibérica. As aves lendárias do Mediterrâneo constroem seus ninhos nas árvores do Montado, enquanto uma infinidade de seres participa no banquete dos frutos. O filme também destaca a presença do Lince Ibérico, uma espécie emblemática que habita o Montado.

“Al Berto” – Vicente Alves do Ó

No quinto dia, será exibido o filme “Al Berto”, realizado por Vicente Alves do Ó. Situado no verão de 1978, pouco depois do 25 de abril, o filme retrata Al Berto e uma geração em mudança, cheia de sonhos e excentricidades. Al Berto cria um grupo de amigos que desejam inovar e viver ao máximo, mas Sines ainda não está preparada para tanta liberdade. O filme é uma história inspirada em factos verídicos, que retrata a vida e as lutas do poeta Al Berto.

“Florbela” – Vicente Alves do Ó

O último dia do ciclo será marcado pela exibição do filme “Florbela”, também realizado por Vicente Alves do Ó. Inspirado em factos verídicos, o filme retrata a vida da poetisa Florbela Espanca. Separada violentamente de António, Florbela apaixona-se por Mário Lage e refugia-se num novo casamento. No entanto, a vida de esposa na província não é conciliável com sua alma inquieta, e Florbela luta para encontrar o equilíbrio entre a sua paixão pela escrita e pelo amor.

Informações adicionais e bilheteira

As sessões do Ciclo de Cinema Transtagano têm lugar às 21h, no Auditório Municipal Fernando Lopes-Graça, em Almada. Os bilhetes têm o valor de três euros, com desconto de 50% para jovens e seniores. Uma excelente oportunidade para mergulhar na cultura e nas tradições alentejanas através do cinema.

Conheça aqui todos os filmes em exibição:

DataFilmeRealizador
4 de janeiroO Adeus à BrisaPossidónio Cachapa
5 de janeiroAlentejo, AlentejoSérgio Trefaut
9 de janeiroTerraHiroatsu Suzuki e Rossana Torres
10 de janeiroMontadoJoaquín Gutiérrez Acha
11 de janeiroAl BertoVicente Alves do Ó
12 de janeiroFlorbelaVicente Alves do

Não perca a oportunidade de assistir a estes filmes que capturam a essência do Alentejo e nos levam numa viagem pela cultura, história e tradições desta região tão especial. Reserve já o seu lugar e desfrute de uma experiência cinematográfica única no Auditório Municipal Fernando Lopes-Graça, em Almada.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -
Também poderá gostar de
Opera-de-Philip-Glass
Cultura

Imersão na Ópera de Philip Glass: Explorando "Na Colónia Penal" no Festival dos Capuchos

Prepare-se para uma jornada emocionante e intelectualmente estimulante no Festival dos Capuchos 2024, onde a ópera de câmara “Na Colónia Penal” de Philip...

Submarino-Barracuda
Cultura

Redescobrir a História Marítima de Portugal: O Submarino Barracuda Transforma-se em Navio-Museu em Cacilhas

Após décadas de serviço leal à Marinha Portuguesa, o submarino Barracuda encontrou uma nova vida como um fascinante navio-museu, oferecendo aos visitantes uma...

Chovem-Perguntas
Cultura

“Chovem Perguntas “ em Almada pelo Dia da Criança e não só

O grupo de teatro almadense, Teatro Extremo, irá produzir a 29ª edição do Sementes – Mostra Internacional de Artes para o Pequeno Público...