Exposição dedicada a livros e autoras portuguesas censurados durante o Estado Novo

A Biblioteca e Arquivo de Grândola irá inaugurar uma exposição inovadora e reveladora, intitulada “Corte & Costura: Livros de Autoras Portuguesas Censurados durante o Estado Novo”. Esta exposição, que faz parte das comemorações do Dia Internacional da Mulher e do programa dedicado aos 50 Anos do 25 de Abril em Grândola, tem como objetivo resgatar as memórias da censura e da resistência feminina durante o longo período do Estado Novo em Portugal.

A coragem das autoras e o silêncio imposto

A exposição “Corte & Costura” apresenta uma visão singular sobre a censura e a resistência feminina durante o Estado Novo, destacando a coragem das autoras que desafiaram as normas impostas e evidenciando o silêncio forçado que impediu outras mulheres de expressarem as suas vozes e experiências literárias. Através de uma variedade de painéis que incluem documentos, textos e imagens organizados cronologicamente, a exposição oferece aos visitantes a oportunidade de mergulhar profundamente neste capítulo da história literária portuguesa.

Um resgate da memória

A exposição “Corte & Costura” pretende resgatar as memórias da censura e da oposição em Portugal durante o Estado Novo, um regime ditatorial que vigorou no país de 1933 a 1974. Ao destacar os livros censurados e as autoras que desafiaram as restrições impostas, a mostra contribui para uma reconfiguração das memórias deste período histórico. Além disso, a exposição está inserida nas comemorações do Dia Internacional da Mulher, reconhecendo o papel fundamental das mulheres na resistência cultural e política.

Um espaço exclusivamente masculino

A exposição “Corte & Costura” evidencia não apenas a coragem das autoras que ocuparam um espaço exclusivamente consignado aos homens, mas também o silêncio decretado que motivou a inexistência de outras escritoras e outros livros durante o Estado Novo. Esta perspectiva ressalta a importância de valorizar e amplificar as vozes femininas, especialmente num contexto de repressão e censura.

Livros proibidos disponíveis para consulta

Além dos painéis informativos, a exposição “Corte & Costura” disponibiliza os próprios livros proibidos para consulta mediante solicitação. Esta iniciativa permite aos visitantes terem um contato direto com as obras que foram censuradas, possibilitando uma experiência ainda mais imersiva e impactante.

Contribuindo para a reconfiguração das memórias

A exposição “Corte & Costura” tem como objetivo contribuir para a reconfiguração das memórias da censura e da oposição durante o Estado Novo em Portugal. Ao apresentar os livros censurados e as autoras que desafiaram as restrições, a mostra visa resgatar a importância dessas vozes e experiências literárias no contexto histórico do país.

Datas e horários de visitação

A exposição “Corte & Costura: Livros de Autoras Portuguesas Censurados durante o Estado Novo” estará aberta ao público até 16 de março. Os horários de visitação são os seguintes:

  • Segunda a sexta-feira: 9h30 – 19h
  • Sábado: 10h – 13h

A entrada é gratuita, convidando todos os interessados a participar nesta jornada de descoberta e reflexão sobre o papel das mulheres na resistência cultural e política durante os anos de repressão do Estado Novo.

A exposição “Corte & Costura: Livros de Autoras Portuguesas Censurados durante o Estado Novo” é uma oportunidade única para conhecer e refletir sobre a história da censura e da resistência feminina em Portugal. Ao resgatar as memórias destas autoras e dos seus livros proibidos, a mostra contribui para uma reconfiguração das narrativas históricas, valorizando as vozes e experiências literárias das mulheres. Não deixe de visitar a exposição e inspirar-se com a coragem destas autoras que desafiaram as restrições impostas pelo Estado Novo.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Projeto-Cantar-de-Novo
Cultura
Projeto Cantar de Novo com Capicua: Um Concerto Imperdível

A música tem o poder de nos transportar para lugares mágicos e despertar emoções