Exposição Padre Cruz – 75 Anos Depois: Uma Homenagem à Vida de um Homem Admirado

Exposição Padre Cruz – 75 Anos Depois: Uma Homenagem à Vida de um Homem Admirado

A Galeria Municipal dos Paços do Concelho de Alcochete é palco de uma exposição única: “Padre Cruz – 75 Anos Depois”. Este projeto presta homenagem a uma das figuras mais emblemáticas e queridas entre os alcochetanos, mas também em todo o país. Francisco Rodrigues da Cruz, conhecido popularmente como Santo Padre Cruz, foi um sacerdote católico português que alcançou grande fama de santidade em vida.

Retratando a Vida e os Feitos do Padre Cruz

A exposição, promovida pela Câmara de Alcochete, apresenta de forma cronológica os principais momentos da vida deste homem que é carinhosamente lembrado pelos fiéis. A mostra utiliza uma variedade de recursos multimédia, como filmes, documentários, fotografias, breviários, livros de orações e objetos pessoais, como o bilhete de identidade, a batina, a bengala e o chapéu, que caracterizavam o Padre Cruz. O vasto espólio, cedido pela Vice-Postulação da Causa de Beatificação e Canonização do Padre Cruz e pela sua sobrinha bisneta, Maria da Graça Santinho, estará em exibição ao público até 27 de Outubro, de segunda a sexta-feira, das 09h00 às 18h00.

Uma Vida de Devoção e Impacto

Francisco Rodrigues da Cruz nasceu em Alcochete a 29 de Julho de 1859 e faleceu a 1 de Outubro de 1948, aos 89 anos de idade. Desde muito jovem, o Padre Cruz sonhava em tornar-se sacerdote, o que se concretizou em 1875, quando se matriculou na Faculdade de Teologia, em Coimbra. Durante a sua vida, alcançou diversas realizações, sendo uma delas a primeira comunhão que deu a Lúcia, uma dos três pastorinhos de Fátima, em 1913. Em 1917, rezou o terço com Lúcia e os outros dois pastorinhos, tornando-se uma figura essencial para dar credibilidade às Aparições de Nossa Senhora em Fátima.

O Padre Cruz sempre teve o sonho de ingressar na Companhia de Jesus, voto que fez em 1886. Aos 81 anos de idade, conseguiu realizar esse sonho, por graça do Papa Pio XII. Até quase o momento de sua morte, a sua vida foi uma incessante peregrinação, dedicando-se a confessar, pregar, abençoar e consolar. Alcochete, a sua terra natal, era uma preocupação constante para o padre, que não apenas apoiava as famílias necessitadas, mas também procurava difundir a fé através do ensino da doutrina cristã às crianças, mesmo quando esse ensino estava proibido.

Após a sua morte, o corpo do Padre Cruz foi colocado no jazigo da Companhia de Jesus, no cemitério de Benfica. Considerado santo ainda em vida, o processo de beatificação e canonização foi iniciado em 1951 pela autoridade eclesiástica e entregue à Sagrada Congregação dos Ritos, em Roma, em 18 de Setembro de 1965. Atualmente, o processo aguarda aprovação.

A exposição “Padre Cruz – 75 Anos Depois” é uma oportunidade única para conhecer a vida e os feitos deste homem tão admirado e amado pelos alcochetanos, e por todos os que conhecem a sua história. Não perca a oportunidade de visitar a exposição e conhecer mais sobre a vida e o legado do Padre Cruz.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -