Immanuel Wilkins no encerramento do SeixalJazz 2023

Immanuel Wilkins começou a tocar violino com apenas 3 anos. Um dia, após a saída das aulas de música, pediram-lhe para mostrar o que já tinha aprendido. Em vez de seguir a partitura, Immanuel escolheu a improvisação, criando algo novo – possivelmente a sua primeira experiência de improvisação. Mais tarde fez a transição para o saxofone, após breves incursões pelo piano, o contrabaixo e o canto. A sua busca por consistência na escolha de instrumento levou-o à inscrição nas aulas de saxofone.

Enquanto tocava na banda da igreja, teve a oportunidade de se juntar ao programa educativo do Clef Club, em Filadélfia, uma organização que desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento da cena de jazz na cidade. Foi neste ambiente que Immanuel Wilkins teve a oportunidade de tocar com o saxofonista Marshall Allen, que o convidou para se juntar a alguns dos seus concertos.

Aos 18 anos mudou-se para Nova Iorque para estudar na Juilliard School, onde conheceu o trompetista e compositor Ambrose Akinmusire, que viria a ser o seu mentor. Foi também aí que conheceu Jason Moran, pianista que influenciaria profundamente o seu percurso profissional. Foi Moran que o levou em digressão e proporcionou a Wilkins um dos pontos altos da sua carreira ao acompanhá-lo na homenagem a Thelonious Monk, “In My Mind, de Moran: Monk at Town Hall, 1959”. Wilkins também desenvolveu uma forte relação com o vibrafonista Joel Ross, levando-o a figurar no álbum de estreia deste último para a Blue Note.

O ano de 2020 viu o lançamento de “Omega”, o aclamado álbum de estreia de Immanuel Wilkins para a Blue Note, que foi nomeado pelo “The New York Times” como um dos melhores álbuns de jazz de 2020. O álbum apresentou o quarteto que o tem acompanhado, com Micah Thomas no piano, Daryl Johns no contrabaixo e Kweku Sumbry na bateria. Este quarteto também desempenhou um papel fundamental no segundo álbum de Wilkins, “The 7th Hand”, lançado em 2022.

Com cerca de uma hora de música, “The 7th Hand” é um trabalho que a crítica elogia como uma audição essencial e que destaca a genialidade de Immanuel Wilkins. Desde então, o músico tem colaborado com uma série de artistas notáveis, incluindo Solange Knowles, Gretchen Parlato, Wynton Marsalis, Gerald Clayton, Aaron Parks e Joel Ross.

Immanuel Wilkins e o seu quarteto sobem ao palco do Auditório Municipal do Fórum Cultural do Seixal no dia 21 de outubro, num concerto que terá início às 22h e que encerra a 24ª edição do Festival Internacional SeixalJazz. Os bilhetes estão disponíveis no balcão de informações da Biblioteca Municipal do Seixal, na Ticketline e nos locais habituais. O preço é de 12 €, com um desconto de 25% para jovens até aos 25 anos, munícipes, reformados e trabalhadores das autarquias do Seixal.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Quinta-da-Fidalga
Cultura
Conheça os Romances da Quinta da Fidalga nesta Visita Guiada

A Quinta da Fidalga, localizada no concelho do Seixal, é um verdadeiro paraíso escondido

Malaba-e-a-Orquestra
Cultura
Malabá e a Orquestra IFCTtorrense Apresentaram um Espetáculo Único: Uma Fusão Inovadora de Rap e Mús...

O rapper conhecido da vila de Paio Pires, Malabá, une forças com a revolucionária

Animateatro
Cultura
Animateatro: O Regresso das Peças de Teatro Infantil

A Animateatro está de volta com uma programação infantil repleta de encenações envolventes e