Morto o cão, acabou-se a fúria – a vida de Luiz Pacheco no TMJB

Morto o cão, acabou-se a fúria – a vida de Luiz Pacheco no TMJB

Luiz Pacheco foi um escritor, editor e polemista que deixou uma marca indelével na cultura portuguesa. Conhecido pela sua personalidade ousada e escrita diferenciada, destacou-se num cenário literário em que os escritores “oficiais” ou “panfletários” dominavam. Pacheco foi além das convenções e tornou-se a consciência crítica da cultura portuguesa.

A sua trajetória foi marcada por uma jornada política, estética e até mesmo geográfica. Considerado um proscrito, um exilado interno e um degenerado, Pacheco desafiou as normas estabelecidas e questionou o papel dos escritores na sociedade. As suas palavras e ideias continuam relevantes até aos dias de hoje, levantando questões sobre o significado destes termos no contexto cultural atual.

A complexidade de Luiz Pacheco

O ator Cláudio da Silva interpreta Luiz Pacheco nesta peça teatral, trazendo à tona todas as complexidades deste personagem fascinante. Da Silva incorpora a lucidez física de uma época que carecia de ideias fortes. Representa o escritor no seu laboratório, na sua oficina, nas suas peregrinações em busca de amor e corpos. Homens e mulheres, jovens e velhos foram objetos da sua atenção voraz. Dizem que Pacheco gostou de tudo, explorando uma poética própria em cada passo que deu. A sua vitalidade extrema e desesperada ecoa em cada página da sua obra.

Pacheco é um libertino, um comunista e um anarquista. A sua geografia é a de uma Lisboa que se estende além das fronteiras. A sua influência na cultura portuguesa durou mais de 50 anos. Despiu-se das convenções e declarou que não precisava de nada, mas ao mesmo tempo, precisava de tudo. É esta atenção ao caos que permeia a sua vida e o seu espetáculo, contando a história de uma queda, de um corpo derrotado pelo tempo e pela escrita.

Sobre o espetáculo

“Morto o cão, acabou-se a fúria – a vida de Luiz Pacheco” é uma peça teatral que apresenta a trajetória e a personalidade de Luiz Pacheco. Com uma duração de aproximadamente 50 minutos, o espetáculo é recomendado para maiores de 14 anos. As apresentações acontecerão nos dias 11 e 12 de Maio, sábado às 21h e domingo às 16h, na Sala Experimental do Teatro Municipal Joaquim Benite. Pode adquirir os bilhetes aqui.

A ideia original da peça partiu de Pablo Fidalgo Lareo, que, em co-criação com Carolina Dominguez e Cláudio da Silva, concebeu o espetáculo. Cláudio da Silva assume o papel de Luiz Pacheco, trazendo toda a complexidade deste personagem multifacetado para o palco. A direção técnica é de Bruno Santos.

Informações adicionais

  • Local: Sala Experimental, Teatro Municipal Joaquim Benite
  • Data: 11 e 12 de Maio
  • Horário: sábado às 21h, domingo às 16h
  • Duração: aproximadamente 50 minutos
  • Classificação etária: maiores de 14 anos
  • Preço: entre 9,10€ e 13€ (Clube de Amigos: 6,50€)

Não perca a oportunidade de conhecer a vida e a obra de um dos mais fascinantes escritores portugueses. “Morto o cão, acabou-se a fúria – a vida de Luiz Pacheco” promete uma experiência teatral intensa e impactante.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -
Também poderá gostar de
Opera-de-Philip-Glass
Cultura

Imersão na Ópera de Philip Glass: Explorando "Na Colónia Penal" no Festival dos Capuchos

Prepare-se para uma jornada emocionante e intelectualmente estimulante no Festival dos Capuchos 2024, onde a ópera de câmara “Na Colónia Penal” de Philip...

Encantador-Mundo-dos-Gatos
Cultura

Descobrindo o Encantador Mundo dos Gatos no Teatro Municipal Joaquim Benite

Imagine um universo repleto de gatos com personalidades únicas e nomes curiosos, prontos para encantar o público com as suas aventuras e habilidades....

Fun-Languages-Almada
Cultura

Celebre o Dia da Criança na Fun Languages Almada: Um Evento Inesquecível de Aprendizagem e Diversão

No dia 1 de junho, a Fun Languages Almada preparou um evento especial e gratuito para celebrar o Dia da Criança com os...