“Os Barrigas e os Magriços”: Uma Peça para as Crianças

O Teatro Estúdio Fontenova, em Setúbal, apresenta a sua primeira criação do ano, a peça “Os Barrigas e os Magriços”, baseada no conto homónimo de Álvaro Cunhal. Inserida no programa de comemorações dos 50 anos do 25 de Abril de 1974, a peça estreia no dia 15 de fevereiro na Casa da Cultura de Setúbal. Embora classificada para maiores de 12 anos, foi concebida especialmente “para as faixas etárias mais jovens”.

Uma Parábola sobre o 25 de Abril de 1974

“Os Barrigas e os Magriços” é uma história que se passa num Portugal de “há muitos anos”. Nessa época, existiam dois grupos de pessoas distintos: os Barrigas e os Magriços. Os Barrigas eram conhecidos por comerem tanto que todo o corpo parecia ser estômago, enquanto os Magriços mal tinham o suficiente para matar a fome.

O conto, escrito por Álvaro Cunhal, tem como inspiração a vida dos avós, que trabalhavam muito, muitas vezes descalços, sem oportunidade de frequentar a escola, mas que almejavam por um país melhor (os Magriços). É uma história que desperta a consciência das crianças para a luta pela justiça social e igualdade.

Uma Jornada de Mudança

A peça retrata também os Barrigas, que eram aqueles que possuíam muitas coisas, detinham terras e leis, e acreditavam ser donos das pessoas. O país em que viviam era tão amarelo que os sorrisos eram mais pequenos que a palma da mão.

No entanto, apesar das dificuldades, o povo continuou a caminhar, a correr em busca de um futuro melhor. Embora já não haja tantos pés descalços, ainda existem sapatos que se consideram superiores e até pisam os outros. Nesta maratona, em que se sobe e desce, a mensagem é de união, de cozinhar uma açorda a várias mãos, todos debaixo do mesmo céu e acima do mesmo chão.

A Criação do Espetáculo

A peça “Os Barrigas e os Magriços” é resultado da colaboração de João M. Mota, Patrícia Paixão e Sara Túbio Costa, responsáveis pela criação, dramaturgia e interpretação. Sara Túbio Costa também assume a coordenação do projeto, cenografia e figurinos. A música original é de João M. Mota, o desenho de luz de José Maria Dias e Ricardo Batista, e a ilustração de Paula Moita.

Consultorias e Apresentações

O espetáculo conta com a colaboração de diversos profissionais, como investigadores, políticos e criadores, entre eles Ana Margarida Campos, Armindo Miranda, Clara Cândido, Joana Mortágua, Joana Simões Piedade e Ricardo Guerreiro Campos.

A peça “Os Barrigas e os Magriços” terá seis representações na Casa da Cultura de Setúbal nos dias 15 e 16 de fevereiro, com sessões às 11h, 15h e 21h30. No dia 17, serão realizadas duas sessões, às 11h e 21h30, e no dia 18, também haverá duas sessões, às 11h e 16h.

Além disso, o espetáculo também será apresentado em escolas, como na Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi, em Setúbal, e no Polo da Ajuda d’A Voz do Operário.

Se quer proporcionar uma experiência teatral enriquecedora para as crianças, não perca a oportunidade de assistir a “Os Barrigas e os Magriços”. Uma história que promove reflexão sobre o passado, o presente e o futuro, despertando o desejo de construir um mundo mais igualitário e justo.

PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -

Você também pode gostar:

Grande-Premio-da-Arrabida
Lazer
Inscrições Abertas para o Grande Prémio da Arrábida: Uma Competição Imperdível para os Amantes de At...

É um entusiasta do atletismo e procura um desafio emocionante? Então não perca a

Cegada-do-Hospicio-ao-Bordel
Cultura
Independente e “Os 13” Unem-se para Cegada do Hospício ao Bordel

O Carnaval é uma época de alegria, irreverência e tradição em todo o mundo.

Concerto-Imperdivel-dos-Nao-Simao
Cultura
O Concerto Imperdível dos Não Simão na Casa da Cultura de Setúbal

Os Não Simão estão prestes a realizar um concerto imperdível na Casa da Cultura