E se houvesse uma seleção de sempre da Margem Sul? 

E se houvesse uma seleção de sempre da Margem Sul? 

Ao longo dos anos, a região da Margem Sul do Tejo tem sido berço de muitos dos principais talentos da seleção nacional. Um autêntico viveiro de craques, que inspiraram gerações e levaram mais alto a bandeira de Portugal e é essa “escola” que resolvemos elogiar hoje, com aquela que é, para nós, a seleção da Margem Sul. 

A Margem Sul mostrou ser muito profícua em jogadores ofensivos e apesar de também haver alguns talentos na retaguarda, é uma equipa com claro pendor ofensivo. Com uma formação ousada, num 3-4-3 qual Rúben Amorim em esteróides, este 11 mostra o que de melhor a Margem Sul tem para oferecer. 

Manuel Bento é uma lenda do futebol português e a nossa escolha para a baliza, nascido em Portimão, mas com uma ligação forte à Margem Sul do Tejo, onde passou grande parte da sua vida. Com reflexos rápidos, bigode de impor respeito e uma presença imponente na baliza, Bento foi uma figura crucial no sucesso do Benfica e da seleção portuguesa durante a década de 1980. 

Mário Rui, oriundo de Sines, um lateral esquerdo moderno e versátil, conhecido por sua técnica refinada e habilidades defensivas sólidas, campeão italiano pelo Nápoles, país onde joga há 12 épocas. 

Bruno Martins Indi, natural do Barreiro, um defensor robusto e com pouco mais a elogiar, mas é o único nascido na Margem Sul que disputou a final de um Mundial e isso vale de alguma coisa. 

Completando o trio defensivo, João Cancelo, nascido em Barreiro, destaca-se pela sua velocidade e capacidade de atacar com eficácia pelo corredor direito, sendo um dos laterais mais promissores da atualidade. 

Luís Figo, nascido em Almada, é um verdadeiro ícone do futebol português e mundial. Com dribles elegantes, visão de jogo excecional e uma capacidade ímpar de desequilibrar as defesas adversárias, Figo é considerado um dos melhores jogadores da sua geração em todo o lado, menos em Barcelona. 

José Augusto, uma lenda do Benfica dos anos 60, que marcou época com a sua classe e elegância dentro de campo. Nascido no Barreiro, representou apenas os encarnados e o Barreirense ao longo da carreira. 

Ao seu lado, Carlos Manuel, natural da Moita, foi um jogador de enorme garra e determinação, destacando-se pela sua capacidade de marcação e entrega ao jogo. 

Chalana, nascido no Barreiro, é um dos jogadores mais icónicos da história do Benfica, com técnica refinada e uma capacidade única de desequilibrar os adversários com a sua velocidade e habilidade.

Rafael Leão, nascido em Almada, é um jovem talento com um futuro brilhante pela frente, com velocidade impressionante e uma habilidade técnica admirável. Campeão italiano pelo Milan e uma das estrelas da Serie A, tem uma carreira enorme à sua espera. 

Vitor Baptista, natural de Setúbal, o homem do brinco foi um ícone do Vitória Futebol Clube e do Sport Lisboa e Benfica. É um avançado ágil e oportunista, conhecido por sua capacidade de finalização e movimentação inteligente dentro da área. 

Paulo Futre, natural do Montijo, é um jogador que encantou os adeptos com a sua velocidade estonteante, habilidade no drible e capacidade de decisão em momentos cruciais. Campeão da Europa em Viena pelo Futebol Clube do Porto, lenda do Atlético de Madrid e um verdadeiro ícone fora de campo, foi o único jogador deste onze que jogou pelos três grandes. 

Uma imagem com texto, captura de ecrã, diagrama, Esquema

Descrição gerada automaticamente
E se houvesse uma seleção de sempre da Margem Sul?  3
PARTILHE NAS REDES
- PUBLICIDADE -
Também poderá gostar de
miyagi_DSC00026_editada_LR
Gastronomia

Fomos falar com Bruno Rochart, um dos donos do Miyagi Street Food 

Fica no Seixal um restaurante de comida asiática que todas as semanas faz inúmeras pessoas atravessar a ponte. Chama-se Miyagi (sim, como a...